Resumo sobre células tronco

CÉLULAS TRONCO:

As chamadas células-tronco (stem cells) são células indiferenciadas, capazes de se autoduplicarem (e dar origem a novas células-tronco) ou que podem sofrer diferenciação em diversos tipos celulares.
Tais células são necessárias em todos os locais em que ocorra uma necessidade frequente de reposição de células diferenciadas que não conseguem se dividir.

Tipos de células-tronco:
As células-tronco podem ser embrionárias ou adultas (nesse caso obtidas, por exemplo, do cordão umbilical, cérebro, tecido adiposo, músculo…).

Desde 2007 há também as células tronco adultas obtidas a partir de células diferenciadas – são as células tronco induzidas (chamadas também de iPS). Tais células podem se diferenciar em praticamente todos os tipos celulares do organismo; são, portanto, células tronco pluripotentes.

Experimentalmente, utilizando-se uma sequência adequada de proteínas sinalizadoras e fatores de crescimento, células tronco embrionárias (ES) ou células tronco induzidas (iPS) podem ser convertidas em diferentes tipos de células adultas especializadas, como mostra o esquema abaixo (retirado de Biologia Molecular da Célula – Bruce Alberts, 6ª edição, página 1257).

Células tronco embrionárias (ES) obtidas a partir da massa celular interna do blastocisto também são exemplos de células tronco pluripotentes (elas são capazes de originar todos os tipos celulares do embrião, exceto os tecidos extraembrionários, como os que comporão a placenta).

Quando uma célula tronco é capaz de diferenciar em todos os tipos celulares, inclusive ovócitos e células espermáticas, ela é denominada de célula tronco totipotente.  As células totipotentes só existem até quando o embrião for constituído por apenas 16 células (fase embrionária de mórula).

As células embrionárias adultas, encontradas nos mais variados tecidos do corpo, conseguem originar apenas determinados tipos específicos de células; são chamadas de células tronco multipotentes.

Aplicações das células tronco:
– Importantes ferramentas na medicina, para compreensão de muitas doenças e testar medicamentos;
– Aplicações na terapia celular (introdução de células saudáveis para tratamento de certas doenças degenerativas como Parkinson; queimaduras…).
– Uso na clonagem terapêutica;
– São importantes ferramentas usadas na compreensão do processo de diferenciação celular.

Importante: Células tronco extraídas de um paciente com doenças genéticas não servem para tratá-lo, uma vez que todas as células nucleadas são portadoras de todos os genes.

Veja questão sobre células tronco, da Unicid 2015.
A figura ilustra a formação de células sanguíneas a partir da medula óssea vermelha do fêmur humano.

A célula-mãe é considerada uma célula-tronco
A) adulta pluripotente, pois pode gerar os três tecidos embrionários humanos.
B) embrionária multipotente, pois pode gerar apenas as células mesodérmicas humanas.
C) adulta totipotente, pois pode gerar todas as demais células do organismo humano.
D) embrionária totipotente, pois pode gerar todas as demais células do organismo humano.
E) adulta multipotente, pois pode gerar células adultas sanguíneas humanas.

Resolução:
A célula-mãe utilizada foi tirada da medula óssea; portanto, trata-se de uma célula tronco adulta. Analisando o esquema, verifica-se que ela deu origem somente a células sanguíneas. Logo, trata-se de uma célula tronco adulta multipotente.
Resp.: E

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *